Hora de acordar

em 26 de mar de 2014
Link YouTube | Hora de Acordar! - Alan Watts

Monge Kõjun apresentou esse vídeo na Comunidade Zen Budista de Ribeirão Preto. Ainda não tinha visto a animação, nem o texto do Alan Watts, e ambos são fantásticos. Comprei o livro O Espirito do Zen, mas ainda não li. Mesmo assim já aprendi a admira-lo. Pra quem não conhece Alan Watts foi um filósofo, escritor, orador e estudante de teologia, muito conhecido por popularizar as filosofias da Ásia para o ocidente.


O que existe é você. E isso deveria ser absolutamente óbvio. Mas não é nenhum pouco óbvio, isso deveria ser a coisa mais simples do mundo. Que você, o olho (observador) é o que sempre esteve acontecendo, e sempre estará, para sempre.
Mas nós fomos enganados por religiões, por políticos, por pais e mães e por todos os tipos de pessoas que nos dizem: "você não é isso". E nós acreditamos...
Então, agora vocês podem entender, se eu falar de um modo negativo: vocês não podem fazer nada para mudarem a si próprios, para se tornarem melhores, mais felizes, mais serenos, para se tornarem místicos ou algo do tipo.
Se eu falar: você não pode fazer nada!
Você consegue entender essa afirmação negativa de uma maneira positiva?
Pois o que eu realmente estou dizendo é: você não precisa.
Pois se vocês verem a si mesmos da maneira "correta". Você são tão extraordinários quanto qualquer outro fenômeno da natureza. Como as árvores, nuvens, os padrões na água corrente, os padrões no fogo, a organização das estrelas, os formatos das galáxias, você é igual.
Não existe nada de errado com você.
Mas preciso destacar um ponto.
Você tem em si algo que pensa que existe algo errado contigo.
Não existe dúvida sobre isso, você faz isso!
Todos nós nos objetificamos de maneiras variadas.
E preciso adicionar: não existe nada de errado com isso também.
Por que isso faz parte do fluxo. É parte do que está acontecendo, é parte do que nós fazemos.
Então, o que eu realmente quero fazer é liberta-los do senso de culpa, porque eu vou ensinar-lhes que você não precisa se sentir culpado porque se sente culpado.
Claro que você se sente culpado!
É como se alguém tocasse fogo em você, e você sente calor.
Ensinaram para você quando era criança que você deveria se sentir culpado. E você se sente.
O que fazer quando alguém aparece e diz: "você não deveria"?
Esse não é o ponto.
Eu não estou dizendo que você não deveria.
Mas que se você se sentir culpado, não se preocupe.
E se você falar: "mas eu não consigo não me preocupar".
Eu direi: "OK, se preocupe".
Esse é o principio que os japoneses chamam de "Judo". Significa "o caminho suave/sutil". Continue fazendo o que está fazendo, continue, continue, continue...
Esse é o começo da meditação.
Você não sabe o que deve fazer.
O que pode fazer?
O que você faz quando não sabe o que fazer?
Você observa!
Você apenas observa o que está acontecendo.
Digamos que alguém toque uma música. Você ouve! Apenas segue os sons. Eventualmente você entende o ponto da música. O ponto não pode ser explicado em palavras, porque músicas não são palavras. Mas depois de um tempo ouvindo a música, você vai entender o ponto. E esse ponto vai ser a música em si.

A animação chama Destiny feita pelo Alec Farai. Ela mostra um rapaz extremamente preocupado com o tempo, parece até que ele é mais pontual que o relógio. Porém mesmo assim ele ainda não está no tempo presente. Ao pegar as torradas ele não está prestando atenção simplesmente as pega por tem o "timing" perfeito. Podemos ver muito da teoria do efeito borboleta no vídeo, porém o rapaz não consegue evitar a sua "morte", quando acorda do que parece ser um sonho. Mas quando ele quebra o relógio (se desapega do tempo) e o tempo "para", ele consegue ver os detalhes da vida, como no final admirando o sol, coisa que não fazia quando estava sempre no "automático". Então ele entende que a causa da sua morte é o seu apego ao tempo. Mas no fim acaba morrendo por um raio.